Parceria

tumblr_lc1pl6OrmH1qf07j6o1_500“Não tive a chance de agradecer por ter salvo a minha vida.
Não precisa, somos parceiros. Isso é o que fazemos.
Sim, alguns mais que outros, claro.Essa foi a oitava vez que você salvou minha vida, e eu já salvei a sua nove vezes.”

(4×07)

O trecho acima é de um dos seriados mais fofos (e superestimados) que eu vejo: Castle. O diálogo é do casal de protagonistas, Richard Castle, escritor de romances policiais e consultor da Polícia de Nova York e a Detetive Beckett, policial durona que acabou se apaixonando por ele. E vice-versa.
O mais bonito disso tudo é o significado de uma palavra: parceria. Antes de ter um amor, o melhor é ter um parceiro.

Alguém que você diz que vai pular do Big Ben e mesmo achando o maior absurdo do mundo, pula junto.

Alguém que pode te magoar pra caramba, mas que esquece tudo quando vê que você está afundando e te lembra quem você é.
Parceria é rir junto. Rir até a barriga doer, rir daquele corte de cabelo horroroso, do mico que você pagou, rir dos outros, rir de si mesmo.
É poder conversar sobre o tempo, sobre a vida das celebridades, sobre família e sobre a Crise na Síria sem cansar.
É apoiar os projetos mirabolantes, mesmo dizendo: “Acho que vai dar merda, mas eu tô aqui nem que seja pra dizer, “eu avisei.”
Parceria de verdade é aquela firmada sem contrato, sem necessidade de verbalização.É algo tão natural que você não faz nada esperando algo em troca simplesmente porque sabe que terá retorno.

Parceria é reconhecer no olhar que o outro não está bem e saber respeitar o espaço sem invadi-lo.
Parceria não é uma promessa de “pra sempre”,é um elo que dura enquanto for bom pra ambos: “Estou aqui enquanto for bom pra mim e pra ti, é só me seguir.”

Karem Moraes

Estarei dançando

Eu sou tempestade
E faço dos teus lábios a minha vontade
Enquanto você deixar
Eu irei te abrigar

Eu sou tempestade
E faço de você a minha felicidade
Eu sou aquela que irá te inundar
E como uma menina travessa irei te revirar

Eu sou tempestade
Faço de você a minha liberdade
Eu sou aquela que sempre irá te alcançar
E no mar tempestuoso da minha alma, te tirarei para dançar

Calincka Crateús

DAR-TE-HORA

Dona de um sorriso lindo, madeixas castanhas e um olhar feroz. Dona de um coração sereno. Dona da antecipação e entrega. Dona da aceitação e pesar. Dona de sonhos reais e simples. Nem tão simples assim. Dona da tristeza. Essa tristeza que perfura, queima e rasga. Mas que passa. Sempre passa. Tem que passar. Dona de palavras sussurradas e planos desfeitos. Das horas que compartilhastes. Dona das lágrimas esperançosas e mãos suadas. Dona do ponto final.

Calincka Crateús

Tic-Tac

Alice-White-Rabbit_lHoje pela manhã, correndo contra o relógio para não chegar atrasada ao trabalho, peguei um creme de limpeza “2 em 1” para limpar o rosto. No rótulo, percebi um pequeno recado: Economize tempo.

Essa pequenina frase teve o poder de mudar meu dia. Meu Deus, será que andamos tão ocupados que precisamos lançar mão de artifícios e produtos 2 em 1 para economizar tempo? Eu sempre disse que meu dia precisaria ter 48 horas pra que eu pudesse dar conta de tudo: Desde resolver as demandas de ordem familiar, profissional, pessoal, financeira, até sucumbir ao meu vício de seriados e livros.

Creio que se o dia realmente fosse esticado por mais horas, ainda assim eu reclamaria. Eu, você, ele, todos nós… Todos vivemos escravos do relógio. A moda agora são os transtornos de ansiedade: depressão, síndrome do pânico, fobia disso, fobia daquilo. Mais e mais pessoas reféns de si mesma, cheias de medos e receios porque o relógio é implacável, os prazos também.

Vivemos em função do 5º dia útil do mês para receber o salário pago pelo trabalho, e gastamos com remédios pra ansiedade por conta deste  mesmo trabalho. Irônico né?

Mesmo aqueles que amam o que fazem, por vezes se pegam tendo que priorizar algo em nome do tempo. E com essa desculpa deixam passar amigos, família, lazer, paz espiritual e pequenos prazeres momentâneos porque estão sempre atrasados.

Todos nós temos o nosso Coelho Branco particular, como Alice. Seja em forma de despertador, de alguém que chama, do telefone que toca, da reunião do dia anterior que não te deixa dormir. Na tentativa vã da sensação de controle do tempo, nos descontrolamos no quesito “viver” de verdade. Eu te pergunto: Qual o último dia em que você se sentiu vivo?

Como boa refém do relógio, lembro-me. Não deveria nem estar escrevendo pro blog. Olho entristecida pra página do editor de texto sem saber quando terei mais um maldito tempo para deixar a inspiração fluir outra vez.  Tic- tac.

 

Karem Moraes

Champanhe, lentilha e bom senso.

Alice coloque 12 uvas na boca para cada mês de 2014. Não se esqueça de pedir o bom senso.
Alice, não precisa usar vermelho para “arrumar” um novo amor. Use o que quiser e peça mais amor próprio.
Alice, não precisa relembrar o que não aconteceu na hora da virada. Olhe para você! Você está viva, sonhadora! E linda.
Alice limpe as gavetas do coração. Tire o pó do órgão pulsante e sinta a brisa trazendo 365 dias de recomeço, novidades e amadurecimento.
Alice, não precisa pular sete ondas para ter sorte. A sorte começa quando você acredita nela.
Alice, não precisa prometer que vai manter a dieta em 2014. Você é linda (eu já disse isso acima). Não precisa passar fome para ser aceita, tire isso da sua mente. Comece 2014 amando seu corpo, por favor.
Brinde sua vida com champanhe, com água, suco de maracujá ou com guaraná Jesus. Brinde por 365 dias.

Calincka Crateús

A chegada

Quando ela chegar, esqueça que a feriu. Ela está tentando.
Quando ele chegar, esqueça que pode ser uma despedida. Ele está tentando.
Quando ela chegar, ame-a como fosse a sua primeira vez. Ela precisará.
Quando ele chegar, decore cada parte do corpo dele. Ele irá decorar o seu.
Quando ela chegar, abrace-a com proteção. Ela precisará.
Quando ele chegar, seja novamente uma adolescente conhecendo o primeiro amor. Ele sempre será seu primeiro amor.
Alice sonhe com um recomeço e se entregue.
Sr. Coelho dê um recomeço á pequena Alice, faça-a feliz por enquanto durar.

Calincka Crateús

Ele Alice, é ele

Ele que chega com jeans azul e camisa branca.
Ele que me olha como se eu fosse algo precioso.
Ele que chora a me ver chorando.
Ele que vê o meu rímel escorrendo com as lágrimas, pela saudade, e ainda assim diz “você é linda”.
Ele que me ama sem medo de amar.
Ele que tenta me afastar para que eu não sofra com a ausência.
Ele que sorri e me faz querer morar naquele sorriso.
Ele que me abraça e me faz chorar por não querer sair daquele abraço, nunca. Nunca, nunca Alice.
Ele que me faz rir até doer a barriga.
Ele que me faz sentir como se eu pudesse dominar o mundo.
Ele que acorda comigo e me olha como se estivesse vendo um anjo.
Ele que faz meu coração acelerar a cada “eu amo você, sempre amarei”.
Ele que segura minha mão quando estou bêbada.
Ele que é tudo que precisei, escolhi e reivindiquei para o meu coração, para o meu ser, para a minha vida.

Calincka Crateús

Hulk Esmaga!

hulktoy1Era mais um daqueles dias comuns, apenas a velha ciranda repetitiva de sempre. Ela fazia as coisas de forma mecânica, sem nem se dar conta do que estava fazendo. De longe, ninguém diz que ela carrega um Hulk particular prestes a esmagar quem quer que lhe dê uma olhada torta. É impulsiva e sabe disso. Mesmo com a terapeuta buzinando em seus ouvidos: “controle seus impulsos”, ela conseguiu pouco progresso.

Continuar lendo »

Feliz Desaniversário!

alice_pais_maravilhas02Zapeando os canais de TV, parei pra dar uma olhada na nova novela do Plim-Plim. “Além do Horizonte” narra, dentre outras historinhas, gente que procura uma comunidade no meio do mato em busca da tão sonhada felicidade.

Na trama, algumas pessoas largaram família, vida social, amigos, emprego porque perceberam que não eram felizes, mesmo possuindo coisas que todos configuram como aspectos de uma vida feliz. Acho felicidade um assunto muito delicado porque é subjetivo. Estamos sempre à procura de algo. Sempre. Nunca estamos verdadeiramente completos e é essa procura que move o mundo, e principalmente, que nos move.

Continuar lendo »

Alice, comemore

E ela dança. E encanta. Arruma a franja, mas continua dançando ao som de Birthday do Kings Of Leon. Ela sabe que hoje, hoje é o dia dela. A animação de chegar aos vinte e três anos, com marcas, perdas, ganhos, amigos, esperança, otimismo e alegria por se sentir viva, emanam pela casa. Quase palpável. Ela sabe, ela sente que terá mais vinte e três anos pela frente. Ela está agradecida, Alice. Por estar viva. Por se sentir amada. Quem não estaria? Quem? Ela escreve e pensa: CARAMBA. Ela sobreviveu a tanta coisa. E sobreviverá por outras. CARAMBA. Alice, ela tira a franja dos olhos e pensa destemida que hoje, só hoje, ela não pensará em coisas tristes.Ela coloca Birthday na repetição. “Está no jeito em que ela muitas vezes me chama para sair. Está na curva do seu lindo vestido. Você vem com suas pernas e sua meia-calça. Você está tão preciosa com o nariz sangrando.” Ela sabe, sabe que é feliz. Ela está viva, tem que ser feliz e ponto final. Ah Alice, ela sonha mais que você. E continuará sonhando mais que você. Até a última batida do seu lindo e enorme coração.

Calincka Crateús

Lulu e a superficialidade das relações

Há muito eu queria escrever sobre a superficialidade das relações na época da internet. Usamos as mídias sociais para viver num mundo imaginário, onde somos felizes e realizados, e não percebemos como deixamos de viver no real sentido da palavra. Ao invés de aproximar pessoas, as mídias sociais tem nos afastado delas.  Fui deixando o texto pra depois, porque percebi que ele seria só mais um. Já tem muita gente escrevendo sobre isso. Continuar lendo »

Jogos Vorazes: Em Chamas faz juz ao título: Realmente pega fogo

1454444_674414375932785_1620073115_n

 

Jogos Vorazes: Em Chamas começa apenas algumas semanas após Jogos Vorazes. Katniss Everdeen e Peeta Melark agora tem que pagar o preço de terem sido coroados vencedores da 74ª edição dos Jogos,  depois da jogada de Katniss que obrigou a Capital a revogar a regra que permitia apenas um vencedor. Os fatos acontecem durante o primeiro filme da saga, que foi ao ar ano passado. Correto, mas sem ir além, Jogos Vorazes foi uma boa introdução da história, mas falhou ao estabelecer o cunho político e na construção da alegoria que perpassa as diferenças entre a opressora Capital e os oprimidos distritos. Em Chamas, na contramão, parece ter aprendido com estes erros e se apresenta como muito mais eficiente, mais sombrio, mais visceral e muito mais humano, elevando a saga já promissora a níveis surpreendentes para uma produção juvenil.
Continuar lendo »

Alice, não é o fim

É um recomeço. Recomeço para se amar mais e completamente, para se encontrar ou reencontrar, para sentir a brisa no rosto e não ter que pensar em alguém além de você. É o recomeço da felicidade que você pensou estar perdida com o fim. Alice, você não precisa de alguém para viver. Você precisa de oxigênio e amor próprio. Você precisa de alguém que queira estar com você porque quer, porque te ama e porque o fará transbordar. Alice, não tema. Não chore. Sinta. Viva. Transborde por si.

Calincka Crateús

Domingo

 

casal_deitado

O sol entra preguiçoso pelas frestas da cortina e eu já sei que logo, logo, ela acordará mal-humorada reclamando, da forma mais linda possível, que a claridade não a deixou dormir justamente no dia que foi feito pra descanso.

Além do sol, o vento uiva forte. Tão forte que por vezes penso que é algum deus perdido por aí sussurrando palavras inteligíveis e acariciando seus cabelos recém-cortados.

Eis que aquilo que penso se transforma em realidade. Ela vai despertando naquele pijama lilás de cachorrinho e essa é a imagem que eu quero contemplar todos os dias. Continuar lendo »

Tempestade

Que bom seria poder guardar sentimentos como quando guardamos as joias dentro de uma caixinha. “Esse sentimento não serve hoje, guarda na caixinha. Esse sentimento combina com essa roupa, com essa cara, com essa situação: tira da caixinha.” Vejo gente que consegue ser assim. Eu, não. Continuar lendo »

Não julgueis para não serdes julgados

Bem, eu não sou religiosa a ponto de saber onde está essa frase na bíblia, mas eu sei que ela existe. Acho que se todo mundo soubesse disso e colocasse a máxima em prática, seria mais fácil levantar da cama todos os dias. Sempre que posso tento me colocar no lugar do outro. É um exercício difícil, porque o egoísmo e o instinto de sobrevivência por vezes falam mais alto. A tentativa, porém, sempre se mostra válida. A gente tem a mania de achar que certas coisas só acontecem na vida dos outros. Ser observador dos problemas, dizer aquele mecânico “tudo vai ficar bem” é fácil. Admita que você já pensou: “Ufa, ainda bem que não foi comigo!” Continuar lendo »

Acorda, Alice!

Ela achava que acordava todos os dias e julgava o quanto a vida havia sido dura com ela. Não agradecia por estar viva. O pensamento amargo aparecia logo que abria os olhos, lembrando que não havia o cheiro de café da mãe, ou a algazarra matinal do irmão mais novo. Ainda deitada na cama, lutava contra a solidão que parecia uma redoma sob o quarto pequeno e antigo da pensão onde morava. Saiu de casa para estudar. Tudo para provar aos outros que voltaria àquela cidadezinha sendo “alguém.” Mas o que é ser “alguém na vida?” Continuar lendo »